Não viva respaldado em verdades subjetivas

Verdade subjetiva é a verdade pessoal. É a minha verdade, é a sua verdade e ela é composta da minha emoção, dos meus sentimentos e também dos meus pensamentos. O que pode ser verdade pra mim, pode não ser pra você. Se você pegar duas pessoas da mesma família, vai perceber que elas têm visões diferentes daquele mesmo ambiente familiar. Presenciei isso centenas de vezes no consultório, como terapeuta familiar.

Quando você atende uma família, você quer ouvir como eles veem a própria família. Os filhos, principalmente, têm uma leitura. Se tem três filhos, tem três verdades sobre a família. Você sabia disso? Cada um tem a sua interpretação.

Então, a verdade subjetiva não está certa, nem está errada. É a maneira com que você percebe o mundo. Só que viver em cima dessa verdade subjetiva não tem futuro por isso, várias pessoas estão com tanta depressão. Por isso, há tantos casos de síndrome do pânico. As pessoas têm perdido o rumo e só Deus pode nos dar o rumo. Só Deus, por meio da Sua Palavra, pode nos colocar no prumo. As nossas interpretações muitas vezes podem trazer ressentimentos e dores sobre as nossas vidas.

Ás vezes, você atende o casal e para o homem o casamento está maravilhoso, mas a mulher está querendo separar. Mas aquilo é a verdade dela. Para ela o casamento não está bem, mas para ele está tudo ótimo. A maneira como ele vê, a maneira com que ele se relaciona com aquela verdade que está diante dele é outra. Então, nós podemos perder relacionamentos, nós podemos nos afastar, inclusive, de pessoas que nós amamos porque nós queremos que a nossa verdade subjetiva se torne verdade objetiva. Lembre-se, a sua verdade está certa para você, mas pode não ser a mesma percepção que a outra pessoa tenha.

Gerenciando as crises do relacionamento

“Casas e riquezas herdam-se dos pais, mas a esposa prudente vem do Senhor.” (Provérbios 19:14)

A lua de mel acabou e a paixão dos primeiros anos, se bem trabalhada, se transformará em amor verdadeiro. O casal divide agora um dia a dia entre o trabalho, o lar, a criação dos filhos e o ministério. É preciso trabalhar duro para manter a casa suprida e organizada, pagar as contas e todas as demais responsabilidades. Para que essa saudável rotina não vire uma monotonia chata, é importante que marido e mulher sejam criativos e busquem maneiras de adicionar romantismo, gentileza, carinho e cumplicidade no dia a dia.

O número de casais cristãos, outrora felizes, que viram a alegria que possuíam se esvair como resultado de um momento de crise é muito grande. Uma resposta grosseira, uma crítica sem amor ou cobranças constantes, por exemplo, são atitudes destrutivas.

Sem saber como lidar com o conflito, o casal em crise acaba permitindo que discussões tomem proporções gigantescas e que desentendimentos minem o prazer que desfrutavam um na companhia do outro. Assim, paulatinamente, o esfriamento apagou a chama que mantinha o coração do casal aquecido e, como consequência, a aliança enfraqueceu.

Marido e mulher precisam ficar atentos para identificar qualquer ponto de estresse na relação. Uma vez identificado, é fundamental que encontrem uma solução juntos, e, sempre que necessário, buscar ajuda, a fim de evitar que frustrações e tensões levem a uma ruptura, abrindo brecha para um caso extraconjugal.

Conflitos são inevitáveis, eles fazem parte das relações humanas. Buscando ajuda, poderão converter a crise em oportunidade para o crescimento mútuo e o amadurecimento individual, tornando-se mais fortes frente às dificuldades e desafios da vida diária.

Um bom relacionamento conjugal tem poder de construir ou destruir seu ministério. A mulher é a base onde a família é construída. A mulher sábia edifica e a tola, com suas próprias mãos, destrói o casamento, a família e o ministério.

Um casamento onde existe amor e respeito é tão poderoso que pode manter a pressão sanguínea normal, produz alívio do estresse, reduz a depressão e acelera a cicatrização de qualquer lesão, além de aumentar até em 50% a expectativa de vida. Cientistas da Universidade Americana de Brigham Young constataram através de pesquisas científicas que pessoas casadas são mais felizes, vivem mais e adoecem menos que as solteiras. Casar é uma bênção, por isso, cuide do seu casamento e do seu cônjuge e você será o grande beneficiado desse investimento.