Pornografia virtual, uma epidemia da sociedade

Muitos relacionamentos estão em crise devido a uma epidemia que é a pornografia virtual. Isso porque ver pornografia muda a atitude do usuário para com o sexo, seu cônjuge e a sociedade. Ele ou ela usa fantasias sexuais para se estimular sexualmente, e passa a ver o sexo como um privilégio casual, e não íntimo e recreativo com seu cônjuge. Embora seja assombroso para muitos, os usuários de pornografia acabam pondo sua vida com Deus, o casamento, o trabalho e as amizades em segundo lugar, depois de seu desejo por pornografia. Eles querem mudar, voltar à vida como era antes, mas a maioria não consegue.

Muitos psicólogos clínicos relataram que, ironicamente, a disfunção erétil é comumente associada ao constante uso da pornografia entre homens e mulheres. Um dos motivos para isso é que a constante busca de imagens sexuais e masturbação, que muitas vezes acompanha isso, levam à insatisfação com o próprio cônjuge. Afinal, a esposa de um homem não consegue manter uma imagem que se compare com as mulheres no mundo da fantasia dos vídeos e imagens pornográficos. O consumidor normal de pornografia se prepara para o desapontamentos e desintegração quase certa de seu casamento. A força viciadora da pornografia é consequência de mudanças neuroplásticas de longa duração, às vezes permanentes, no cérebro.

Lamentavelmente, para o consumidor de pornografia, a confissão e a contrição são geralmente insuficientes para se desprender da prática. Como a dependência das drogas, a pornografia não é só um mau hábito – é um vício. Então ela precisa ser confrontada, passar por um processo de confissão, de cura, “desintoxicação mental” e libertação.

A pornografia muitas vezes é um pecado secreto que perdura por anos em um relacionamento, roubando a felicidade do casal. Isso porque a pessoa que tem essa prática carrega a culpa, e o cônjuge que sabe dela se sente traído, rejeitado, desvalorizado e humilhado. Diante desses sentimentos o casamento pode ruir, pois o amor conjugal foi feito para ser uma entrega total de si para um parceiro permanente e fiel. É uma entrega confiante e abnegada. Em contraste, o sexo pornográfico é egoísta, degradante e mecânico.

Se você tem passado por essa situação, procure ajuda, fale com seus líderes, pastores ou um psicólogo, mas não enterre esse pecado secreto em sua casa, como se ele não estivesse atrapalhando sua vida, trazendo infelicidade para você e para seu parceiro.

Bispa Lúcia Rodovalho chama a atenção, em vídeo, para a interação excessiva com as redes sociais

Estar conectado nas redes sociais e ao mundo cibernético faz parte da rotina de milhares de pessoas ao redor do mundo, mas até quando essa interação é saudável? Até que ponto todo esse aparata tecnológico deve estar presente na vida das pessoas?

Essa é uma indagação que muitos se fazem, e uma preocupação da Bispa Lúcia Rodovalho, enquanto psicóloga, por isso, ela aborda em vídeo sobre os malefícios dessa interação com o mundo virtual. “Esse tema me preocupa muito, porque a nossa sociedade tem uma oportunidade tremenda de viver, de se relacionar de uma maneira muito mais plena, mas está abrindo mão disso, para ficar trancafiado dentro de um quarto”, destaca.

Quer saber mais sobre o que a Bispa pensa a respeito do tema? Assista o vídeo na íntegra: