Bispa Lúcia Rodovalho fala em congresso que o casamento se mantém com concordância

No último sábado, dia 09 de dezembro, aconteceu o Congresso de Casais na Embaixada Sara Nossa Terra, em Brasília. Bispos Robson e Lúcia Rodovalho, juntamente com os bispos Hugo e Gisela de Jesus ministraram renovação matrimonial e muito direcionamento espiritual sobre a vida de todos. Em sua ministração, bispa Lúcia Rodovalho destacou aos casais sobre sua visita a Manaus, local onde estão concentrados os rios Negro e Solimão. Observou que eles se encontram, mas não se misturam porque têm temperaturas diferentes,  assim como o casamento. “Quando nós casamos, temos a intenção de nos tornarmos um, mas emocionalmente leva-se um tempo. E o casamento precisa desse tempo para ter essa mistura e assim como os rios, lá na frente eles se misturam”.

De forma enfática a preletora destacou ainda que para essa mistura acontecer se faz necessário ter paciência, e frisou, também, que o casamento só funciona porque cada um tem a sua identidade. Mas como criar esse espaço comum? Como não se perder dentro do casamento?. “A palavra chave para que um casamento dure é a concordância. Você precisa aprender a fazer acordos, e isso vai te ajudar com os seus filhos. Tenha um espaço comum, mas sem tirar a identidade da sua família. Uma sociedade permanece se não houver acordo? Quando não há concordância, você se afasta, o relacionamento esfria, mas concordância traz o seu cônjuge para perto”.

A preletora disse ainda que só se faz acordo quando há uma profunda amizade entre os cônjuges. “Para manter um relacionamento feliz são as tentativas de reparação, os acordos feitos entre os casais. Se não há esse espaço, o acúmulo da mágoa vai destruir a relação. Tempo não resolve o relacionamento, mas piora. As coisas que te magoam precisam ser ventiladas, você precisa falar sobre e com na hora certa. A concordância no casal só é possível quando você aprende a não guardar ressentimento. Seja transparente!”.

Confira fotos:

Crédito das fotos: Ronaldo Caldas

Quando os fracos se tornam fortes

O arco dos fortes foi quebrado, e os que tropeçavam foram cingidos de força. Os fartos se alugaram por pão, e cessaram os famintos; até a estéril deu à luz sete filhos, e a que tinha muitos filhos enfraqueceu. O Senhor é o que tira a vida e a dá; faz descer à sepultura e faz tornar a subir dela. O Senhor empobrece e enriquece; abaixa e também exalta. Levanta o pobre do pó, e desde o monturo exalta o necessitado, para o fazer assentar entre os príncipes, para o fazer herdar o trono de glória; porque do Senhor são os alicerces da terra, e assentou sobre eles o mundo. Os pés dos seus santos guardará, porém os ímpios ficarão mudos nas trevas; porque o homem não prevalecerá pela força. 1 Samuel 2: 4 a 9

Deus tem liberado a Sua Palavra e Seus anjos para trabalharem junto conosco, porém existe uma guerra invisível acontecendo para impedir que a igreja prevaleça. Mas o que inimigo não sabe é que nós não prevalecemos pela nossa força, mas por causa do Senhor.

Você prevalece não pela sua força. Não é somente a sua inteligência ou a capacidade de trabalho que vai te fazer prosperar, mas é a unção de Deus na sua vida que não lhe deixa desistir, e abre as portas à sua frente.Se nós formos olhar para nós mesmos, olhar para a nossa família, empresa, igreja ou simplesmente para o natural, veremos que é muito difícil alcançar aquilo que nós temos recebido como promessa. Mas quando nós olhamos para Deus e aprendemos a depender de Deus, tudo começa a mudar.

Se nós, como Sara Nossa Terra, prevalecemos nesses anos de ministério, a chave é a dependência de Deus; é porque nós aprendemos muito cedo que o homem não prevalece pela esperteza, ou tirando, roubando o que é dos outros.

O texto de Samuel é o cântico de Ana, e é um dos textos, mais fortes da Bíblia, porque ele fala de uma reviravolta. Um texto que mostra a vitória dos improváveis, do fraco sobre o forte.

Muitos de nós não tínhamos um lugar de honra dentro das nossas famílias, não tínhamos apoio, não tínhamos uma palavra de que seríamos vitoriosos, bem-sucedidos. Muitos viemos de famílias em que um ou dois filhos eram preferidos e os outros eram deixados de lado. E sabe o que Deus faz? Deus muda a sua sorte, Ele muda a sua história. O que prevalece é aquele que experimenta uma reviravolta na sua vida; é o improvável.

O improvável é o débil, o fraco, o menor na sua casa, é aquele que toma o lugar do forte. O improvável é aquele que não se estabelece por seus dons, mas por sua dedicação, amor e paciência. É aquela pessoa que nada contra a corrente.