Os problemas te ajudam a crescer

O casamento não resolve os seus problemas, pelo contrário, muitas vezes os acentua. Por exemplo, uma mulher sai de casa porque o pai é alcoólatra, e ela cansada de apanhar, de ver a mãe apanhar, ou de ver o pai perder tudo, encontra alguém e pensa: “É a chance de resolver minha vida!”. Depois de anos, ela descobre que aquele bebedor social não é um bebedor social, mas é um alcoólatra, um viciado em álcool igualzinho ao seu pai.

Quando num relacionamento você não está inteiro, não tem espírito resgatado, não tem projetos de vida, a tendência natural é buscar um relacionamento nos moldes familiares conhecidos, seja bom ou ruim. Eu tenho me perguntado porque nós, seres humanos, temos tanta dificuldade em aceitar e vivenciar o momento presente. Por que os solteiros têm tanta dificuldade de vivenciar a vida de solteiro? Por que os casais têm tanta dificuldade de vivenciar o casamento? Deus não nos criou para vivermos sós, mas nos deu o desejo e a necessidade de nos relacionarmos, de vivermos juntos, de fazermos trocas.

Quero que você entenda que os problemas fazem parte da nossa vida e do nosso crescimento. Você só vai crescer se enfrentar as dificuldades. Você só vai se tornar um marido melhor se tiver dificuldades no seu casamento. É dessa forma que você vai ver onde tem falhado e vai procurar ser uma pessoa melhor.

Como cultivar o amor durante anos de relacionamento?

o-amor-é-exatamente-tudo-o-que-você-precisaTalvez você já tenha se perguntando “como cultivar o amor durante anos de relacionamento?”. O segredo é: semeie amor, crie um saldo positivo, pois assim sempre haverá créditos para superar uma decepção ou um desgaste.

Em relacionamentos em crise as pessoas sempre dizem que o relacionamento está ruim porque não amam mais seu cônjuge, e isso acontece porque elas não construíram uma relação baseada em amor, não foram cultivadas sementes de amor.
Quando o relacionamento se rompe é porque existe uma equação negativa, normalmente porque um lado está se doando mais que o outro, gerando um desiquilíbrio emocional. Sem equilíbrio não há estabilidade, ou seja, não adianta só você se doar para seu cônjuge – isso não mantém um relacionamento. Ele também precisa se doar, precisa haver esse equilíbrio.

Podemos comparar a questão do relacionamento como um banco. Você tem um banco emocional, e nesse banco você pode fazer saques e depósitos. Quando você faz algo positivo para seu cônjuge, faz um depósito, gera um crédito; e quando você faz algo que o chateia muito, você faz um saque. Um exemplo: você sai e encontra um amigo, e esse amigo fala coisas boas pra você, te valoriza dizendo que é muito bom te ver, que você está muito bem e que você é importante na vida dele, e diz pra vocês marcarem uma saída para conversarem mais.

Então aquela pessoa em relação a você vai ter um crédito em seu banco de amor, porque ela te faz se sentir bem. Quando as pessoas te fazem se sentir bem significa que elas te amam independente do que você é e do que você fez, e com isso ele acumula pontos.

Mas voltando ao nosso exemplo, digamos que na outra semana, esse amigo pisa na bola com você, marca de te encontrar para jantar e não vai, e você fica irritado com ele. A amizade não acaba, porque ele tem créditos com você. Você diminui um crédito dele, mas o saldo não fica negativo, entendeu? O problema na família, no casamento, com seus filhos, é que vocês vão deixando a conta só no negativo, só no vermelho, não geram créditos.

Muitas vezes não entendemos a importância de um elogio, de um incentivo para criar um saldo positivo ou até mesmo uma poupança. Na área financeira o saldo negativo seria um problema fácil de resolver, porque dinheiro você consegue trabalhando, ou vende alguma coisa, e vai lá no banco, faz um depósito e cobre a conta. Agora gestos de amor não têm como, é muito difícil você recompensar coisas do passado. Por isso, quando a pessoa aceita Jesus, nasce de novo. É uma nova vida que começa ali, porque se um marido for pagar para a esposa tudo que ele deve durante anos de relacionamento ele jamais vai conseguir sair do prejuízo. Mas quando aceitamos Jesus como nosso Senhor e Salvador, Ele zera a nossa conta, elimina nossas dívidas.