Aprenda a administrar os conflitos

“No terceiro ano de Ciro, rei da Pérsia, foi revelada uma palavra a Daniel, cujo nome é Beltessazar; a palavra era verdadeira e envolvia grande conflito: ele entender a palavra e teve a inteligência da visão.” (Daniel 10:1)

Conflitos são inevitáveis, eles fazem parte das relações humanas. Mas, infelizmente não somos treinados adequadamente para administrá-los. Para Warren Bennis, “os líderes bem-sucedidos não evitam, reprimem ou negam o conflito, antes os veem como uma oportunidade”.

Para ele:

  • o líder que evita o conflito é omisso;
  • o líder que reprime o conflito é ditador;
  • o líder que nega o conflito é utópico;
  • o líder que vê no conflito uma oportunidade é otimista.

Os conflitos existem e fazem parte da realidade do nosso contexto de vida e trabalho. Infelizmente não podemos nos livrar da presença deles, pois seria o mesmo que tentar fugir da própria sombra.

O conflito faz parte da complexidade humana. Entretanto, seu aparecimento frequente é um forte indicador de que não estamos melhorando. Mesmo reconhecendo os conflitos como pertinentes à existência existem meios e ferramentas para solucioná-los, transformando-os em instrumentos de crescimento pessoal, profissional e ministerial.

Quem você é em Deus?

As reações que você tem no momento de crise que dizem se você vai ser um líder que prevalece ou um líder que passa. Eu não quero ser uma líder que vai passar, eu vim para ficar!

As dúvidas surgem quando você não está seguro de quem Deus é. Quando você não está seguro do Deus a quem você serve, seu conhecimento d’Ele  e sua intimidade com Ele são limitados. Por que, se você não sabe quem Deus é , você também não sabe quem você é. Você só fará essa descoberta acerca de si mesmo quando você descobrir quem o Senhor é.

Pessoas que não têm segurança daquilo que elas são e que, consequentemente, não têm segurança do Deus que elas servem, começam a viver uma vida entre a fé e a razão. Deus quer um culto racional da nossa parte, não basta ser apenas emoção, porém, não é possível servir a Deus, somente, pela razão também. Nós somos convencidos na nossa mente. Mas, quando se fala de fé, de milagre, de transformação, a razão não pode prevalecer; o que prevalece é a fé. E, em todos os momentos de dúvida, a fé e a razão se confrontam. E, quando a fé prevalece, você cresce.

O líder que prevalece conhece seus próprios limites. Ele sabe que ele é e quem ele não é. Ele sabe que tem coisa que ele pode fazer e outras que ele não foi chamado para fazer. E essa situação entre a fé e a razão cria em nós uma crise emocional, às vezes, até uma crise existencial. Mas, quando nós estamos seguros da nossa identidade em Deus, nós vencemos as crises.