O que você recebe é o retorno das suas ações

Certa vez, um menino resolveu subir numa montanha. Chegando ao topo, deu um grito e, consequentemente, ouviu o eco de sua voz. Sem entender o que tinha acontecido começou a gritar chamando aquela pessoa, mas continuou a ouvir o eco. Aborrecido, pensou que fosse alguém zombando dele. E, então, bradou: “Pare de repetir”, e ouviu um longo “pare de repetirrrrrrrr”. Nervoso, começou a xingar e insultar o misterioso dono daquela voz e foi para casa muito chateado, pois recebeu de volta todos os insultos e palavrões.

Em casa, relatando o acontecido à sua mãe, disse ter conhecido uma pessoa chata e mal educada, como nunca tinha visto igual na vida. A mãe, surpresa e preocupada, perguntou ao filho quem era tal pessoa e o que tinha feito. Ao que o menino respondeu: “na verdade não a vi, só ouvi a sua voz. Ficou zombando de mim e sequer apareceu”. Sua mãe indagando-lhe um pouco mais, constatou que ele ouvira o eco de sua própria voz, e aproveitou para dar-lhe uma lição: “Meu filho, isso chama-se eco. Acontece como na nossa própria vida, tudo que fazemos volta para nós. Da próxima vez, ao invés de xingar, tente elogiar e falar só coisas boas”.

No dia seguinte, o menino voltou ao mesmo lugar e começou a gritar: “Você é inteligente, você é bonito, você é legal…”. Ao voltar para casa, o menino muito feliz disse: “Mãe, a senhora tinha razão. Eu só ouvi coisas boas”.

Essa história ilustra as situações de muitas famílias, onde seus membros estão insatisfeitos com o que têm ouvido e visto. Famílias que ainda não perceberam que o que têm recebido é o retorno de suas próprias ações, ou seja, o eco.

Assim como o menino aprendeu que a vida devolve tudo aquilo que lhe é oferecido, você precisa investir num novo tipo de semeadura para sua vida. Jesus nos ensina a fazermos aos outros o que gostaríamos que nos fizessem, esta é a lei da semeadura. Aquilo que você deseja para a sua família, semeie. Plante sementes de amor, aceitação, bênçãos e liberdade para ter paz e felicidade na sua vida e no seu lar.

Administrar nossas emoções depende de disciplina interior

Quando não conseguimos administrar nossas emoções elas saem de qualquer maneira, em forma de palavras ou de atitudes que podem destruir nossos relacionamentos. Esse é um desafio e um aprendizado. Começamos a falar da necessidade de conhecermos a verdade em nossas vidas. Do processo de libertação que Deus quer trazer para nós e como tudo começa com a verdade. Curamo-nos quando nos confrontamos com a verdade. A palavra de Deus entra em nossos corações quando deixamos que ela separe aquilo que é do homem daquilo que é de Deus. Infelizmente, algumas pessoas se voltam em demasia para Deus, concentrando-se n’Ele e esquecendo-se ou desconectando-se do restante de suas vidas. Esse não é o propósito de Deus. O propósito de Deus é que possamos encontrá-lo e que Jesus se torne nossa âncora, para mostrar que é possível viver nesse mundo de maneira plena.

Jesus veio para nos dar vida e nos dar condições de viver, mesmo sendo pecadores. Ele nos deu condições de nos reconciliar com Deus para vivermos uma vida plena. Jesus nos libertou para verdadeiramente sermos livres através da verdade das nossas vidas. Só podemos ser livres se tivermos disposição de enfrentar a realidade e a verdade, e isso tem a ver com o que nos feriu, nos magoou, nos tornou pessoas que não queríamos ser: pessoas que não se importam com os outros, que não conseguem amar os outros e que vivem extremamente desconfiadas.

Administrar nossas emoções depende de disciplina interior. O grande caos do nosso mundo ocidental está no excesso de liberdade. A liberdade é maravilhosa, mas também é perigosa, pois liberdade sem responsabilidade se torna um grande problema.

Hoje o homem perdeu seu eixo porque ele está sem limites – ele já não sabe o que é certo ou errado. E a grandeza do evangelho é que ele nos dá um eixo; temos um código de ética, sabemos em que nos espelhar, temos alguém para nos inspirar e para nos desafiar a ser como Ele.

Não é uma tarefa fácil, ao contrário, é uma tarefa difícil, mas não é impossível. É um caminho a ser percorrido: mudar a verdade e a realidade de nossas vidas. Precisamos aprender a lidar com as coisas do passado. Quando não vencemos as coisas do passado, ele se atualiza, todos os dias. Aquilo que não vencemos será atualizado para nossa vida hoje. Os relacionamentos que pensamos ter destruído se refletem apenas em trocas ou ajustes de posições e de comandos. Aprender a gerenciar nossas emoções exige disciplina, limite e responsabilidade na liberdade.