Comprometimento é ter ações e não palavras

Comprometimento é muito mais emoção do que razão, é uma crise emocional. Nossas emoções são mais poderosas do que a razão. Enquanto a razão está dizendo uma coisa as emoções estão impulsionando para o outro lado. Emoção é impulso, é algo muito forte dentro de nós. E o coração é onde residem todas as nossas decisões.

Então, o comprometimento não começa na boca ou em palavras, mas sim no coração. Se alguém é comprometido com seu líder, seu coração e sua vida são dele. Se alguém é comprometido com Deus, sua vida é d’Ele e a pessoa vai buscar em primeiro lugar fazer a vontade de Deus. Se a pessoa está comprometida no casamento, seu coração pertence ao cônjuge e ela não tem dúvidas sobre isso e nem precisa ficar olhando para o lado para procurar alguém mais bonito ou interessante, pois todas as suas decisões, sempre. serão a favor do seu casamento. Nos momentos de dúvida, é o comprometimento que faz a diferença.

Michael Jordan, atleta multicampeão e considerado por muitos o maior jogador de basquete de todos os tempos, é um exemplo de comprometimento. Jordan sabia que é o coração que separa o bom do melhor. Certa vez lhe perguntaram qual era o segredo para ele ter se tornado uma lenda do esporte. Ele respondeu que o segredo era o coração e o comprometimento que ele carregava dentro de si. “É o que eu estou disposto a perder, pelo que eu quero alcançar. É o que eu estou disposto a abrir mão, em prol do que eu posso ganhar”, finalizou Jordan.

Jordan, também foi tido como um improvável em sua adolescência, quando foi dispensado da equipe da escola de Laney High School em Wilmington, Carolina do Norte, por sua baixa estatura. A Adidas, anos mais tarde, também achou Jordan, com seus 1,98 de altura, inapropriada para ser seu garoto propaganda por ser baixo demais para o padrão que eles almejavam.

A história mostrou que tanto a equipe da escola quanto a Adidas estavam errados sobre Michael Jordan. Ainda hoje ele é uma das figuras do esporte mais comercializadas na história.

Se você quer fazer diferença, você tem que mostrar comprometimento, mas não da boca para fora. Um exemplo de comprometimento que fica só nas palavras é o namorado que diz: ‘Meu coração é seu, minha princesa, nós já somos casados perante Deus e pelo meu amor por você. Por isso, qual é o problema nós dormimos juntos antes do casamento se eu já estou comprometido com você?” É tudo da boca para fora, são mentiras.

Comprometimento não são palavras, é coração. Pois, quando o compromisso vem do coração, a pessoa quer o melhor para a outra. Comprometimento é provado pelo coração e depois pela ação, progressivamente. É como o voto de Ana, que, primeiramente, fez o voto com Deus em seu coração, em oração. E, posteriormente, foi entregar o seu filho Samuel na casa do Senhor. O compromisso de Ana inicia no coração e termina na ação de entregar o filho ao Senhor.

Meninas, se alguém está dizendo que quer compromisso com você, não basta te chamar de minha princesa, tem que transformar isso em ação. Comprometimento é provado pelo coração e pela ação, pois a única medida real do comprometimento é a ação.

Um namoro com compromisso é aquele que tem data de noivado e casamento, e que, principalmente, os dois trabalham em prol do futuro juntos.

Bispa Lúcia Rodovalho ministra no TAL, em Brasília, sobre o modelo de liderança deixado por Paulo

Que tipo de líder você tem se tornado? Com essa indagação, Bispa Lúcia Rodovalho iniciou sua participação no Treinamento Avançado de Líderes (TAL), que acontece nesta quarta-feira (02), em Brasília.

“A liderança não é algo que floresce da noite para o dia, mas é conquistada a cada dia. Se tornar um líder requer uma vida de dedicação, porque ser líder segundo o modelo de Paulo e o modelo bíblico é como se preparar para uma olimpíada. Você passa a vida inteira treinando e a repetição traz a perfeição”, disse.

Em sua ministração, Bispa Lúcia observou ainda que a pessoa só se torna líder por conta de alguém que o desafiou, por conta do seu mentor e não tem exemplo melhor de liderança na igreja do que Paulo. “O que Paulo fala e que começa a despertar a liderança é que ele nos diz que Deus lhe deu um modelo. Jesus trouxe uma pessoa que não conviveu no dia a dia com Ele, para se tornar o nosso exemplo. Por isso, nós não podemos dar desculpas que não podemos fazer isso ou aquilo, porque não vivemos ou vimos Jesus, mas Paulo nos diz para sermos seus imitadores”.

Algumas passagens Bíblicas foram utilizadas como referência, entre elas Filipenses 3:17, Atos 7:58, Atos 9:21, Atos 9:26, 1 Coríntios 12:31 e 1 Coríntios 13. A preletora enfatizou ainda que é preciso que o cristão esteja atento a não seguir uma moda. “Ou você é um imitador ou é um sabotador, aquele é que inimigo da cruz de Criato, não está disposto a seguir Cristo.Todos nós achamos que somos separados para fazer a vontade de Deus, e tudo vai acontecer num passe de mágicas. Não existe mágica para o seu crescimento, mas existem estratégias”.

Observou que Paulo passou anos marginalizado, e quando ele se converteu e entrou no caminho da igreja, ele abandonou o seu nome judeu que era Saulo e adotou o nome de Paulo, um nome latino, diferente, porque esse nome significa pequeno ou menor. “Não foi fácil para Paulo começar o seu ministério, mas graças a Barnabé, ele foi incluído na igreja. Liderança nunca é fácil, mas sempre vai ter alguém que vai acreditar em você. Valoriza essa pessoa que acredita em você. Sem um Barnabé você não cresce”.

Sendo enfática, Bispa Lúcia destacou que todos podem e vão errar, mas é preciso aprender com os erros. “Quem for abrir célula, saiba que um dia você vai ter 10 pessoas, na outra semana 2 ou três, mas não feche a sua célula. A realize da mesma maneira, visualizando o amanhã com os olhos da fé, que não te bloqueia. Deus te preparou e você tem dentro de você toda capacidade para superar os obstáculos, porque você sabe ser cordeiro, mas você é um leão, que não foge e enfrenta. Sede imitadores de Paulo, que é imitador de Jesus e isso significa trazer à sua mente o propósito da sua vida, da sua missão”, disse.

O evento segue até o final da tarde, com participação da Bispa Lúcia Rodovalho e dos bispos Lucas e Priscila Cunha, além da presença do pastor de La Roca, José Mayorquin.

Confira fotos:

Crédito das fotos: Ronaldo Caldas