Deus espera que tenhamos amor por Ele com atitudes corretas

Como o Pai me amou, assim eu os amei; permaneçam no meu amor. Se vocês obedecerem aos meus mandamentos, permanecerão no meu amor, assim como tenho obedecido aos mandamentos de meu Pai e em seu amor permaneço. Tenho lhes dito estas palavras para que minha alegria esteja em vocês e a alegria de vocês seja completa. O meu mandamento é este: Amem-se uns aos outros como eu os amei. Ninguém tem maior amor do que aquele que dá a sua vida pelos seus amigos (João 15: 9-13).

Desses mandamentos dependem a nossa felicidade e a nossa saúde emocional. Nosso amor a Deus não é baseado em sentimentos, o que Jesus espera de nós não é que tenhamos afeto por Ele, mas que demonstremos com atitudes corretas que o amamos.

“Jesus respondeu: ame ao Senhor, o seu Deus, de todo o seu coração, de toda a sua alma e de todo o seu entendimento”. Esse é o primeiro e o maior mandamento. E o segundo é semelhante a ele: “Ame o seu próximo como a si mesmo”. Destes dois mandamentos dependem toda a Lei e os Profetas (Mateus 22: 37-40).

Precisamos receber o amor de Deus em nossos corações para cumprir seu mandamento de amar o próximo como amamos a nós mesmos. Só Jesus é a fonte de água viva que nos satisfaz e nos completa para sermos capazes de amar o outro.

Quem verdadeiramente ama a Deus obedece aos seus mandamentos. Deus espera que façamos escolhas acertadas em nossas vidas. Por exemplo, quando somos fiéis aos nossos cônjuges e quando optamos por não ter atividade sexual fora do casamento, estamos dizendo a Deus que o amamos e isso tem um valor incalculável nos lugares celestiais e em nosso caráter cristão.

Evidentemente, o amor é uma escolha que vence o medo de ser traído ou rejeitado. Quem se tranca em suas fortalezas com medo de ser ferido fica impedido por essas mesmas defesas de amar e ser amado. Jesus desafiou a mulher samaritana a receber o dom de Deus, que é o amor e, assim, todas as demais coisas lhe seriam acrescentadas.

Quer ver sua vida mudar radicalmente? Pare de mendigar amor e comece a amar; pare de reivindicar suas necessidades e comece a servir.

Quando errar, admita!

Acho que um dos erros mais difíceis de reconhecer é quando erramos com o cônjuge e com os filhos, pelo menos comigo é assim, principalmente com filhos, porque temos medo de que se assumirmos nossos erros diante dos filhos eles vão deixar de nos admirar.

Temos o temor de que nossos filhos deixem de nos amar, mas, uma hora eles começam a conhecer nossas fragilidades e se você tiver medo de mostrar essas fragilidades, você vai se afastar deles cada dia mais e vai criando aquela imagem de perfeição, achando que eles não vão conhecer seus erros. Mas,conforme seus filhos vão crescendo, eles não vão conseguir conviver com você, e sabe por que? Porque você vai ser muito perfeito para eles e eles se sentirão muito imperfeitos e falhos para serem seus filhos.

Quer ter seus filhos perto de você, pai? Seja quem você é! Quando você errar admita que errou. Muitas vezes nossas respostas são apenas reações. Nós precisamos que Deus nos ajude através do Seu Espírito a mudar isso. Você precisa ser responsável por aquilo que fala. Entenda que aquilo que você fala para seu filho tem muito poder, aquilo que fala para sua esposa, para seu esposo tem muito poder, porque tudo que fazemos na vida é pela família, pelas pessoas próximas e importantes.

Isso já foi pesquisado por grandes universidades. O que estimula o homem a conquistar são seus pares, por causa daqueles que estão perto dele, porque ele quer aprovação, quer respeito e consideração daquelas pessoas. Então, o que você fala para quem está perto de você é muito importante, tem muito peso. Por isso, seja responsável pelos seus erros e faça a escolha de pedir perdão, de reconhecer suas falhas.