Quem possui grandeza, não se vitimiza diante dos problemas

Li em um livro que “os vencedores são aqueles que simplesmente respondem bem aos reveses da vida”. Sua resposta diante das crises faz toda a diferença e determina seu futuro. Abraham Zaleznik (1924-2011), professor americano durante quatro décadas na Harvard Business School, autor de vários livros no campo da psicodinâmica da liderança organizacional, psicanalista praticante, fez um experimento para descobrir a grandeza ou a insignificância do sucesso em uma pessoa. Ele descobriu que quem possui grandeza e significância sabe reagir diante das frustrações quando tenta alcançar seus objetivos. São pessoas resilientes que não desistem diante dos obstáculos.

Ele afirmou que a grande maioria dos indivíduos não se prepara mentalmente para a chegada inevitável de desapontamentos na vida. Ora, certamente é necessário estar preparado para o pior. Meu marido sempre treinou nossos filhos para enfrentar o pior cenário possível. Quando eles vinham com uma ideia, ele sempre os questionava: “O que vai fazer se isso não der certo?” Se eles respondessem que certamente tudo daria certo, ele insistia: “E se não der?”

Saber o que deve ser feito no pior cenário é saber gerenciar. Às vezes, por causa da nossa atitude de fé, nós ficamos apenas no nível de querer crer no sobrenatural, e não entramos no nível do gerenciamento de nossas responsabilidades pessoais. Mas é importante se preparar para imprevistos e, assim, aprender a gerenciar nossos projetos pessoais. Antecipe-se para o caso de alguém de confiança o deixar na mão e tenha uma perspectiva do todo e não apenas de parte do processo. Ao se preparar para desapontamentos com a equipe, você está minimizando os danos.

Quem possui grandeza não se vitimiza diante dos problemas nem generaliza suas decepções. Ele interpreta a crise como uma oportunidade para sucesso sem ficar apenas culpando os outros. Ele questiona a si mesmo o que pode ou poderia ter sido feito e persevera até achar uma solução. Por outro lado, um líder insignificante perde a coragem, culpa outros e desiste de avançar. Os líderes mais bem pontuados nos estudos de Abraham Zaleznik foram os que se prepararam antecipadamente para enfrentar possíveis decepções.

A maneira mais inteligente de se preparar para o fracasso é estabelecendo e cobrando metas. Quando você prepara e checa a meta regularmente, você antecipa o cenário provável e sai do campo da imaginação. Antecipar crises é agir com diligência. Por exemplo, passe tempo de qualidade com seu filho adolescente e observe como usa a internet, com quem anda e os lugares que frequenta. Essa é uma forma simples de prevenir problemas no futuro. Nunca deixe um adolescente entregue a si mesmo, por mais firme que esteja na igreja.

Napoleão Bonaparte foi um general brilhante cuja carreira militar durou 25 anos. Ele se preparava para pequenas e grandes batalhas, antecipando potenciais crises. Bastava sua presença na batalha para animar sua tropa e tornar seu exército mais pujante e vitorioso. Dizia-se que a mera presença dele na batalha, era como se o contingente de soldados aumentasse em quarenta mil homens. A presença de Napoleão dava um encorajamento moral e segurança do que iriam fazer, de tal forma que eles não tinham dúvida alguma do sucesso que iriam alcançar. Seu segredo era investir tempo e estudar minuciosamente o campo de batalha. Ele fazia uma análise de todas as potenciais situações e resultados do combate eminente, não importando se a batalha era pequena ou grande. Ele antecipava as crises e mantinha uma atitude fria e destemida diante dos piores cenários e revezes e sempre tinha uma ordem certeira e objetiva para situações complicadas. Tornou-se Senhor de toda a Europa porque aprendeu a se preparar com antecedência para todo tipo de situação.

Líderes de sucesso na Bíblia, como Davi, tinham coração terno, mas sabiam ser  frios na hora de tomar decisões. Davi expressava todas suas angústias e medos nos salmos, mas na hora da batalha sabia conduzir a guerra.

Não é fácil chegar ao patamar de líder, mas se você chegou aqui é sinal que pode ir ainda mais além. Praticamente tudo que o ser humano faz na vida é porque quer mudar a maneira como se sente. Muitas vezes, nós queremos mudar a maneira como nos sentimos e achamos que a maneira certa é saindo do desafio. Convicção é o sentimento de certeza em relação a algo. Podemos não saber quando vamos alcançar, mas saber que vamos alcançar. Nós somos movidos pela fé, por isso, não espere ter dinheiro para ter o que Deus mandou você ter, tenha fé e dê o primeiro passo.

Coragem é fazer aquilo que causa medo

As nossas atitudes é que nos levarão a realizar as mudanças necessárias em nossas vidas para alcançarmos nosso propósito e a vida plena. Infelizmente, o que nos impede de mudar é a falta de atitude, e o que está por trás dessa falta de atitude é o medo. Um sentimento que pode ser tanto um limitador quanto um motor poderoso para nosso crescimento.

Não é mera coincidência que o pânico (manifestação mais intensa ou aguda de um medo), é o transtorno que mais leva as pessoas aos atendimentos médicos ou hospitalares. No entanto, esse sentimento que pode debilitar, também pode dar às pessoas a possibilidade de transformá-las e tirá-las de uma vida restrita e sem perspectivas.

O medo, quando encarado, pode se transformar em algo positivo, pois o enfrentamento abre novas portas outrora fechadas pela paralisia. Ter atitude ou coragem não significa não ter medo. Ao contrário, coragem é fazer aquilo que causa medo e nos prende. O temor, o medo e a criatividade andam de mãos dadas. Por isso, precisamos ter cuidado em como lidamos com esses sentimentos, pois na tentativa de acabar com o medo podemos aniquilar a criatividade.

O medo leva as pessoas a pensar que seus anseios e sonhos são inalcançáveis. Alguém disse certa vez que “o medo é um grande ferro-velho abarrotado onde nossos sonhos são largados para definhar sob o sol escaldante”. Se pararmos para analisar friamente, aquilo que tememos nos últimos 5, 10, 20 ou 30 anos, nunca aconteceu. Se não aprendermos a dar um sentido ao nosso medo, nomeá-lo e enfrentá-lo, ele pode paralisar nossa vida e gerar ataques de raiva e pânico.