Aprenda a administrar os conflitos

“No terceiro ano de Ciro, rei da Pérsia, foi revelada uma palavra a Daniel, cujo nome é Beltessazar; a palavra era verdadeira e envolvia grande conflito: ele entender a palavra e teve a inteligência da visão.” (Daniel 10:1)

Conflitos são inevitáveis, eles fazem parte das relações humanas. Mas, infelizmente não somos treinados adequadamente para administrá-los. Para Warren Bennis, “os líderes bem-sucedidos não evitam, reprimem ou negam o conflito, antes os veem como uma oportunidade”.

Para ele:

  • o líder que evita o conflito é omisso;
  • o líder que reprime o conflito é ditador;
  • o líder que nega o conflito é utópico;
  • o líder que vê no conflito uma oportunidade é otimista.

Os conflitos existem e fazem parte da realidade do nosso contexto de vida e trabalho. Infelizmente não podemos nos livrar da presença deles, pois seria o mesmo que tentar fugir da própria sombra.

O conflito faz parte da complexidade humana. Entretanto, seu aparecimento frequente é um forte indicador de que não estamos melhorando. Mesmo reconhecendo os conflitos como pertinentes à existência existem meios e ferramentas para solucioná-los, transformando-os em instrumentos de crescimento pessoal, profissional e ministerial.

Gerenciando as crises do relacionamento

“Casas e riquezas herdam-se dos pais, mas a esposa prudente vem do Senhor.” (Provérbios 19:14)

A lua de mel acabou e a paixão dos primeiros anos, se bem trabalhada, se transformará em amor verdadeiro. O casal divide agora um dia a dia entre o trabalho, o lar, a criação dos filhos e o ministério. É preciso trabalhar duro para manter a casa suprida e organizada, pagar as contas e todas as demais responsabilidades. Para que essa saudável rotina não vire uma monotonia chata, é importante que marido e mulher sejam criativos e busquem maneiras de adicionar romantismo, gentileza, carinho e cumplicidade no dia a dia.

O número de casais cristãos, outrora felizes, que viram a alegria que possuíam se esvair como resultado de um momento de crise é muito grande. Uma resposta grosseira, uma crítica sem amor ou cobranças constantes, por exemplo, são atitudes destrutivas.

Sem saber como lidar com o conflito, o casal em crise acaba permitindo que discussões tomem proporções gigantescas e que desentendimentos minem o prazer que desfrutavam um na companhia do outro. Assim, paulatinamente, o esfriamento apagou a chama que mantinha o coração do casal aquecido e, como consequência, a aliança enfraqueceu.

Marido e mulher precisam ficar atentos para identificar qualquer ponto de estresse na relação. Uma vez identificado, é fundamental que encontrem uma solução juntos, e, sempre que necessário, buscar ajuda, a fim de evitar que frustrações e tensões levem a uma ruptura, abrindo brecha para um caso extraconjugal.

Conflitos são inevitáveis, eles fazem parte das relações humanas. Buscando ajuda, poderão converter a crise em oportunidade para o crescimento mútuo e o amadurecimento individual, tornando-se mais fortes frente às dificuldades e desafios da vida diária.

Um bom relacionamento conjugal tem poder de construir ou destruir seu ministério. A mulher é a base onde a família é construída. A mulher sábia edifica e a tola, com suas próprias mãos, destrói o casamento, a família e o ministério.

Um casamento onde existe amor e respeito é tão poderoso que pode manter a pressão sanguínea normal, produz alívio do estresse, reduz a depressão e acelera a cicatrização de qualquer lesão, além de aumentar até em 50% a expectativa de vida. Cientistas da Universidade Americana de Brigham Young constataram através de pesquisas científicas que pessoas casadas são mais felizes, vivem mais e adoecem menos que as solteiras. Casar é uma bênção, por isso, cuide do seu casamento e do seu cônjuge e você será o grande beneficiado desse investimento.