O amor é uma escolha que vence o medo

Evidentemente, o amor é uma escolha que vence o medo de ser traído ou rejeitado. Quem se tranca em suas fortalezas com medo de ser ferido, fica impedido por essas mesmas defesas de amar e de ser amado. Jesus desafiou a mulher samaritana a receber o dom de Deus, que é o amor, e, assim, todas as demais coisas lhe seriam acrescentadas.

Quer ver sua vida mudar radicalmente? Pare de mendigar amor e comece a amar. Pare de reivindicar suas necessidades e comece a servir. Em vez de cooperar para a multiplicação da maldade, não se canse de fazer o bem. A esperança de um mundo melhor está nas mãos de quem conhece e pratica o amor ágape. O mesmo poder e a mesma escolha que Jesus ofereceu à mulher do poço de Jacó estão disponíveis a nós hoje.

Jesus ensinou que, se amássemos a Deus de todo nosso coração, alma e entendimento e ao próximo como a nós mesmos, estaríamos cumprindo a lei de Moisés. Esse amor expresso por Jesus na cruz é mais que um sentimento ou emoção; é um amor sublime, objetivo e prático que independe de nos sentirmos bem ou mal, alegres ou tristes. Não tem relação com o fato de você ter sido ou não amado por seus pais; desprezado ou não por pessoas no passado. Amar como Jesus amou, é uma questão de ser tocado pelo amor ágape e escolher quebrar um ciclo interminável de amar com segundas intenções, para amar sem esperar receber nada em troca.

Inicie, prossiga e complete

Ciclo-de-vidaMuitas vezes não somos treinados para completar o ciclo, que eu chamo de Ciclo da Vitória, que tem 3 etapas: iniciar, prosseguir e completar. Quase sempre ficamos no meio do caminho.

Começamos a prosseguir, começamos a fazer avanços, mas desistimos no meio do caminho, não conseguimos completar aquilo que é necessário. Mas Deus quer te ajudar, lembrando que como você termina é mais importante de como começa.O Bispo Rodovalho tem um livro que diz isso: “Terminar bem é mais importante do que começar bem” mas, infelizmente, temos a tendência de fazer exatamente o contrário, começamos bem e terminamos mal.

Não sei se é porque no início estamos animados, motivados e com o decorrer do tempo vamos perdendo o fôlego.E quase sempre é assim. Um exemplo disso é o casamento: começa com festa, com alegria, com fotos, doces, bolos, jantares e se o casamento acaba, muitas vezes termina com choro e com brigas. Mas o que

Deus quer é que você possa começar um casamento feliz, prosseguir mesmo com dificuldade, mas sendo cada vez mais feliz e, quando você chegar no fim da sua vida, você estará mais feliz do que quando casou.

Uma outra área que muitas vezes mostra o quanto é difícil seguir o ciclo, é nos estudos. Quantos cursos começam com sala lotada e no meio já tem menos da metade dos alunos e no final do curso apenas alguns permaneceram. As vezes a pessoa luta tanto para entrar em uma Universidade, começa super animado e no meio do semestre abandona.

Você precisa entender que a nossa vida neste mundo tem fases, tem estações, tem estágios e se nós não vivermos cada estágio, se não vivermos plenamente aquelas fases, nós nunca vamos alcançar o melhor de Deus. Não adianta ficar falando dos mesmos sonhos sem nunca realizá-los. De repente você pensa assim: “Mas é tão bom sonhar!”, mas eu te digo que melhor do que sonhar é realizar o sonho.

Só que para realizar o sonho é preciso pagar preço e aí que a coisa fica difícil para algumas pessoas. Por exemplo: tem gente que sonha em ser pastor mas nunca sai daquela posição infantil na igreja, não amadurece, só quer receber. Ou sabe que para se tornar pastor precisa encerrar com plenitude o seu tempo como diácono, só que não quer passar pela fase, ela quer sair do diaconato e já ser bispo. Ou quer ser pastor, mas não quer obedecer ao líder, não quer ir ao discipulado ou ao culto.

Então como quer ser pastor? Como quer assumir um cargo que vai exigir muito mais disciplina e comprometimento? Aí tem gente que fala: “Ah, mas quando eu for pastor vai ser diferente!”Não vai nada, querido! A Bíblia diz:“Sê fiel no pouco e no muito eu te colocarei”. Se não é fiel e nem disciplinado sendo discípulo ou sendo líder, não vai ser como pastor e nem como bispo. Por isso, não pode pular de fase, tem que viver cada momento, que é para ser treinado, aperfeiçoado.