Ter caráter ou conforto? O que você prefere?

Como bispa, eu tenho a responsabilidade de treinar muitos líderes. Às vezes alguns chegam e falam: “Ah, vai mais devagar, não pega muito firme”. Mas eu não tenho pena deles, sabe por que? Porque eu sei quem eles são. Eu sei do potencial deles e sei até onde posso exigir para que cresçam ainda mais.

E Deus faz assim com a gente. Às vezes você fala: “Ah Deus, pega mais leve, está muito difícil”. Mas Ele sabe até onde você pode aguentar. A Bíblia diz que Deus não nos dá nada que não possamos suportar, então Ele faz o que for necessário para te fazer crescer e te tornar uma pessoa melhor, porque Deus está interessado em seu caráter, naquilo que você pode se tornar. Por isso quero ressaltar mais uma vez o que eu disse no capítulo passado: Você precisa cuidar, vigiar seus pensamentos, os pensamentos que você tem a seu respeito, a respeito do seu futuro, porque esses pensamentos geram em você ações, essas ações geram hábitos e seus hábitos moldam seu caráter.

O que moldou o caráter de Davi foram os hábitos corretos. Ele olhou para Saul e disse: “Eu posso, sim, destruir aquele gigante, porque quando eu cuidava das ovelhas do meu pai veio um urso e eu matei, depois veio um leão e eu também o matei.”

Na sua vida também é assim: as experiências passadas são para te fortalecer, te treinar e te fazer uma pessoa melhor. E assim como Davi, primeiro você precisa matar o urso, primeiro você mata aquilo que te abraça, que não quer te deixar ir para frente, primeiro você mata sua carne, vence essas coisas que estão dentro de você querendo te segurar e começa a ter hábitos saudáveis porque os hábitos saudáveis vão moldar seu caráter de vencedor.

31 de outubro: 502 anos da Reforma Protestante

Nos últimos dias temos falado muito sobre a Reforma Protestante, que neste dia 31 de outubro completa 502 Anos. Mas você sabe o que foi essa Reforma? O movimento foi idealizado por Martinho Lutero no início do século 16, naquela época a Igreja Católica tinha grande influência política e social. Ela se tornou uma potência financeira e em diversos casos foi usada como um instrumento de fortalecimento do poder político. O Papa tinha uma fortuna maior do que muitos príncipes e os cargos eclesiásticos eram disputados pela aristocracia – muitas vezes viravam moeda de troca política.

Uma das práticas mais comuns da Igreja Católica era a venda pública das indulgências, os pergaminhos que perdoavam os pecados do fiel. Muitos padres as vendiam em troca de uma doação em dinheiro a Igreja. Então no dia 31 de outubro de 1517, o monge agostiniano Martinho Lutero afixou na porta da Igreja de Wittemberg, na Alemanha, 95 teses que criticavam a conduta da Igreja Católica. Os textos denunciavam a deturpação do evangelho, a venda de indulgências e a corrupção, o enriquecimento ilícito e a falta do celibato clerical. Além das denúncias, chamavam o cristão ao arrependimento e à fé.

Lutero pregava que somente a fé em Deus salvava as pessoas. Uma ideia que se opunha à salvação pela compra de indulgências. Essa interpretação oferecia ao povo a expiação da culpa por meio da contrição e penitência, o que ia contra as práticas da Igreja naquele momento. Para ele, a salvação se dá pela fé na justiça, na graça e misericórdia divina.

O luteranismo também defendia a livre interpretação da Bíblia. A igreja Romana era contra esse ponto, pois entendia que o povo não iria entender corretamente os ensinamentos de Deus e precisava seguir as orientações de um sacerdote.

A Reforma Protestante se espalhou na Alemanha e teve rápida aceitação em vários países. Enquanto na Alemanha a reforma era liderada por Lutero, na França, e na Suiça a reforma teve como líderes João Calvino (1509 – 1564) e Ulrico Zuínglio (1484 – 1531). Na França e nos Países Baixos, os adeptos foram chamados de huguenotes. Na Inglaterra, de puritanos, e na Escócia, de presbiterianos.

As 95 teses de Lutero deram origem a um movimento de ruptura que levou à criação de uma nova religião cristã, o Luteranismo, identificado como um movimento protestante em relação ao Catolicismo. Daí vem o nome “Protestante”, para designar os seguidores dessa vertente religiosa. Hoje fazemos parte desse movimento que mudou a história não somente da sociedade, mas te todo o cristianismo.